A origem do Linho.

A planta que dá origem ao Linho é muito versátil. Cresce rápido, dá uma florzinha linda que logo se despetala. É então época de colheita. Dela retiramos insumos medicinais, um raro óleo usado para pintura e suas fibras, que dão origem ao tecido de Linho. 

 
 

A data exata das primeiras peças de linho fiadas à mão, no entanto, continua a ser um mistério. Há evidências deste tecido já sendo feito na Mesopotâmia e na Turquia, por volta de 7000-8000 aC. O linho cresce nativo às margens no Nilo e os antigos já sabiam muito bem o que fazer com ele. Ao longo da história os egípcios giraram fortuna comercializando versões deste tecido: velas de barco de alta resistência, diferentes qualidades de bandagens para mumificação, linho índigo rústico, linho púrpura, linho alvejado para os sacerdotes... Existia um linho tão finamente fiado, reservado apenas para os monarcas, que só era possível identificar sua trama com lente de aumento. O Linho foi usado por Príncipes, Reis e Semideuses, por toda Ásia, Oriente Médio, Grécia e Europa antiga. Até o Santo Sudário é de linho! O que prova a versatilidade deste tecido, de rústico e forte, a fino e delicado serve a Patrícios e Plebeus. 

O linho é cheio de histórias, em muitas épocas e culturas. Vale pesquisar e conhecer. 

Tem pouca coisa sobre o assunto em português, portanto aí vão dois bons links em inglês diretamente dos maiores produtores de linho.
http://belovedlinens.net/fabrics/Traditional_linen.html 

http://www.libeco.com/en/about-linen/from-flax-to-linen.aspx

Escrito por: Lu Buneo e Carolina Moraes