Banco de Tecido finalista do LAB de Inovação da Cadeia da Moda!

O Social Good Brasil é uma organização que inspira, conecta e apoia, tanto indivíduos como organizações, auxiliando no uso da tecnologia, novas mídias e comportamento como forma de contribuição para a solução de problemas sociais.

O Social Good compartilha da opinião de que as transformações sociais que vivemos hoje não estão apenas relacionadas ao desenvolvimento tecnológico, são de caráter comportamental e de novos modelos mentais. Por isso se trabalha com a ideia de comportamento inovador, alinhado com o uso das tecnologias, para propor um formato de convivência mais colaborativo e com liderança compartilhada.

Como alega Amartya Sen: A pobreza não se define apenas pelo seu caráter econômico e sim - de forma multidimensional - pelo acesso aos serviços mais básicos de educação, saúde, saneamento e moradia. Olhando para este conceito as iniciativas do Social Good procuram gerar impacto social em quatro dimensões: acesso, autonomia, transparência e escala.

As iniciativas devem propor soluções que reduzam a assimetria de informação entre as diferentes classes sociais, facilitando o acesso através da tecnologia, abrindo espaço para a autonomia dos participantes, disponibilizando as informações de forma transparente e confiável e permitindo que estas soluções sejam levadas para cada vez mais pessoas. E é isso que nós aqui do Banco de Tecidos defendemos também.

 Foto: Social Good Brasil (facebook.com/socialgoodbrasil)

Foto: Social Good Brasil (facebook.com/socialgoodbrasil)

Em parceria com o Instituto C&A, o Social Good Brasil criou o Lab Inovação na Cadeia de Moda, um programa que reuniu onze empreendedores durante 4 meses para apresentar suas iniciativas entre encontros presenciais, conteúdos online e mentorias com profissionais da C&A. Neste tempo estivemos junto de pessoas e iniciativas muito queridas, gente generosa e corajosa de compartilhar seus sonhos e seus fazeres. Alguns já eram velhos amigos e parceiros da casa e tantos outros foram felizes surpresas que certamente serão parceria para uma vida. Iniciativas que também pensam num consumo mais consciente e justo para esta cadeia da moda.

Nesta semana, quando participarmos do Demoday, dia que nos colocamos a prova, a nós mesmos e às nossas ideias, fomos selecionados como finalistas do programa junto ao DezFAZ e o Modellagio. Estamos MUITO felizes com esse reconhecimento ao nosso trabalho! Não há palavras para agradecer a oportunidade e o empenho do pessoal do Social Good, do Instituto C&A e a todos os envolvidos nesse processo de quatro meses de muito trabalho e por podermos apresentar o trabalho do Banco para profissionais da área têxtil, organizações sociais e parceiros da C&A e Social Good Brasil.

Além disso, não podemos deixar de agradecer à equipe aqui do Banco que trabalhou muito para que esse processo acontecesse da melhor maneira possível, com um resultado tão positivo para nós! Esse prêmio é um reconhecimento a todos nós, correntistas, usuários e parceiros que mantemos o Banco sempre circulando e dando vida nova à tecidos de reuso. OBRIGADO!

Banco de Tecido no G1 do Paraná

A nossa unidade de Curitiba fica lá no Casa Base, que é um espaço incrível e inteiramente voltado para o desenvolvimento de projetos que envolvem economia criativa.

Vejam que bacana essa matéria que o G1 do Paraná fez com o Henrique Cabral, que coordena a unidade do Banco na capital, falando do nosso trabalho e da importância de reconhecer a memória que os tecidos carregam! Ficou MUITO legal!

Para assistir, basta clicar no link da reportagem!

 

Banco de Tecido | MAFI Comunica

Estamos no Moda Sem Crise!

A equipe do Moda Sem Crise fez uma matéria super bacana mostrando o trabalho que desenvolvemos aqui no Banco. No texto, além de contar um pouco da nossa dinâmica de trabalho, a Fernanda Reis Sales fala sobre alguns conceitos de sustentabilidade que muita gente passa desapercebido, como reutilização, reaproveitamento, ressignificação e, principalmente, o ato de repensar atitudes!

Não leu ainda? Clica no link e fica por dentro!

http://modasemcrise.com.br/voce-conhece-o-banco-de-tecido/#more-2065

No Reino da Dinamarca

Olá parceiros do Banco!

Tudo foi tão intenso que só hoje consegui sentar pra contar um pouquinho de como foi lá em Copenhagen. Foi tocante, emocionante e inspirador ver gente de toda a parte do mundo se dando conta que é preciso olharmos com atenção e generosidade para a cadeia têxtil como UM TODO.  

O Summit foi lindo. Num lugar chiquérrimo, muito jornalista e gente da moda se colocando diante da realidade de uma cadeia produtiva com visíveis rachaduras de sistema. Muita visibilidade para o assunto, muita proposta de ação. Ficou claro que o caminho é inevitável, longo e incerto. Acompanhemos, colaboremos como podemos.

E não posso deixar de falar pra vocês sobre os cafés da manhã, as longas caminhadas pela cidade e o dia de trabalho junto aos parceiros do Fabric Change. Essa foi a melhor parte, foi quando pudemos conversar, compartilhar ideias e informações. Gente e projetos diversos, todos com o mesmo foco: repensar de maneira mais sustentável o fazer da cadeia têxtil.

Obrigada C&A Foundation, Instituto C&A e Ashoka pela iniciativa e pela oportunidade de compartilhar. Quando fazemos um encontro aqui no Brasil?

Lu Bueno

__________________________

ASHOKA BRASIL

http://brasil.ashoka.org

INSTITUTO C&A

http://www.institutocea.org.br

C&A FOUNDATION

http://candafoundation.org

FASHION SUMMIT

https://www.facebook.com/copenhagenfashionsummit/

FABRIC OF CHANGE

https://www.facebook.com/groups/1697056473881079/

Banco de Tecido, Alinha e Retalhar: diferentes frentes de uma mesma cadeia sustentável

Não é novidade o fato de que acreditamos que estender o ciclo de vida dos materiais é essencial para o mundo em que vivemos hoje. Também não é nova a informação de que toneladas de tecidos são descartadas anualmente ao redor do mundo por erros de produção, sobras e estoques que acabam virando lixo e contaminando o meio ambiente. O reaproveitamento e a reciclagem dos resíduos têxteis ainda são muito restritos e cerca de 10% de toda produção têxtil vira descarte. Lidar com as sobras é uma tarefa trabalhosa, mas uma grande parte do que é descartado poderia ter uma sobrevida e é por acreditar nisso que nos orgulhamos do nosso trabalho e de todos os que dedicam a sua vida pelos mesmos motivos.

Como falamos no último post, o Banco de Tecido é um Changemaker! Mas felizmente ele não está sozinho nessa batalha. A Retalhar, que venceu o Prêmio Jovem Changemaker, e a Alinha, que também é finalista do Prêmio Changemaker - Tecendo a Mudança, são exemplos de que o Brasil é um país que tem gente que se importa! =]

Com muita vontade de colaborar para a melhoria das condições de trabalho na cadeia produtiva de moda, e focada no apoio ao empreendedorismo, a Alinha trabalha auxiliando e orientando oficinas de costura para pessoas interessadas em melhorar suas condições de trabalho. Ou seja, quem procura uma oficina de costura, confecções, fornecedores, marcas independentes, estilistas ou qualquer empresa interessada em contratar uma oficina de costura, para diferentes tipos de pedidos e demandas, pode contar com a ajuda da Alinha para encontrar o serviço mais adequado. Sob a forma de uma plataforma online que foca na aceleração de oficinas de costura e no aumento de sua visibilidade para o mercado, a Alinha acaba operando como uma ferramenta de aproximação entre o comprador e as oficinas que promovem as melhores condições de trabalho para seus funcionários.

Já a Retalhar busca gerar soluções com valor compartilhado, fazendo um trabalho incrível que utiliza o reaproveitamento de resíduos como ferramenta de empoderamento nos empreendimentos da economia solidária. Criando alternativas aos processos de incineração e aterragem, que são extremamente degradantes para o meio ambiente, o trabalho da Retalhar promove inclusão social e desenvolvimento humano em toda e qualquer ação que gere retorno financeiro para eles, como a reciclagem ou manufatura reversa, os cobertores populares produzidos a partir de uniformes descartados, a descaracterização de uniformes descartados em condições de uso para reuso e a transformação dessa mesma matéria prima em brindes.

O Banco, como vocês bem sabem, é um lugar onde todas as pessoas podem depositar seus tecidos e as sobras ganham a chance de receber uma vida nova. Pautado por um sistema inclusivo e circular, o Banco de Tecido transforma atores da cadeia têxtil em usuários ativos, que, interconectados, impulsionam naturalmente um ciclo sustentável, com reflexos sociais, econômicos e ambientais. Dando vida nova aos tecidos que estavam esquecidos no fundo das gavetas, acabamos liberando espaços, usando melhor o que já existe no mundo, aumentando a vida útil do tecido e, por consequência, diminuindo o consumo dos recursos naturais do planeta! Os tecidos são nosso produto e também nossa moeda corrente, ou seja, você pode depositar seus tecidos, sacar outros em troca ou comprar a quantidade que você precisa.

Viu que legal? Somos três iniciativas brasileiras, que batalham diariamente para a melhoria das condições da cadeia produtiva têxtil e de moda. Trabalhamos de forma justa e sustentável em frentes visivelmente complementares. Estamos embarcando juntos pra mostrar o nosso trabalho para o mundo todo! Imagina que legal se todo mundo comprasse seus tecidos no Banco, executasse seus produtos ou coleções usando os serviços disponibilizados pela plataforma da Alinha e destinasse as sobras para a confecção dos cobertores populares da Retalhar? O cuidado com o mundo em que a gente vive começa no momento em que pensamos em todas as fases dos processos em que nos envolvemos!

Por Mafi Comunicação e Banco de Tecido.

O Banco de Tecido é um Changemaker!

Alguns de vocês já sabem, ou já leram alguma notícia que a gente postou na página do Facebook ao longo dos últimos meses, mas é com imensa alegria que a gente veio falar pra todo mundo que faz parte aqui do Banco sobre algo muito legal que está acontecendo! Somos finalistas do prêmio Changemakers - Tecendo a Mudança, promovido pela Ashoka em parceria com o Instituto C&A! Nada mais justo do que, além de dividir essa felicidade toda com cada pessoa que faz parte dessa trama, que é o Banco de Tecido, a gente contar um pouco do que é esse trabalho maravilhoso que a Ashoka faz no Brasil e no mundo, e como a gente chegou até aqui!

A Ashoka é uma organização mundial, sem fins lucrativos, que atua no campo da inovação social em mais de 85 países. E olhem que legal, foi o pessoal da Ashoka que cunhou o termo Empreendedorismo Social e o caracterizou enquanto campo de trabalho, apoiando e reconhecendo os esforços de milhares de pessoas com ideias criativas, inovadoras e que provocam transformações de amplo impacto social. Considerada pelo The Global Journal, uma das 20 ONGs mais influentes do mundo, a Ashoka teve dois de seus Empreendedores Sociais condecorados com o Prêmio Nobel da Paz - em 2006 e 2014 - por ações transformadoras com objetivo de resolver os problemas existentes no mundo. Em 2015, Bill Drayton, fundador e CEO da Ashoka, foi eleito um dos 100 líderes visionários pela Real Leaders.

Com uma visão de mundo onde “Todos Podemos Ser Agentes de Transformação" (Everyone is a Changemaker) e em harmonia com uma sociedade onde as respostas aos desafios sociais surgem de forma rápida, eficaz, propondo soluções e alcançando mudanças positivas. A Ashoka, que em sânscrito significa "ausência de sofrimento", acumula mais de três décadas de experiência em análise de tendências sociais e foi através dessa experiência que ela identificou um conjunto de habilidades transformadoras que acredita serem necessárias para que as pessoas se tornem agentes de transformação ou “changemakers”. A empatia, o trabalho entre equipes, a liderança compartilhada e a ação transformadora estão entre as habilidades cujo desenvolvimento são apoiados, tanto nas escolas quanto entre o setor privado e os empreendedores sociais, incentivando para que todas as pessoas sejam agentes de transformação.

Para se tornar um Empreendedor Social da Ashoka é necessário participar de um rigoroso processo de seleção com etapas nacionais e internacionais. Os empreendedores líderes no campo em que atuam, influenciadores de políticas públicas ou que produzem algum tipo mudança sistêmica para uma sociedade melhor, mais justa e sustentável, são selecionados. Ao se tornarem Fellows Ashoka, estes empreendedores passam a integrar uma rede mundial de intercâmbio de informações, hoje com mais de 3.000 participantes, onde todos colaboram e disseminam iniciativas inovadoras. Mais de 370 dessas iniciativas são de empreendedores sociais brasileiros de todas as regiões do país, Não é incrível?

O Banco participou desse processo e foi selecionado, junto com outras duas iniciativas brasileiras que vamos apresentar pra vocês no próximo post, na categoria Tecendo a Mudança E vai concorrer ao Prêmio Changemakers, na Dinamarca. Fruto da parceria entre o Instituto C&A – que representa a C&A Foundation no Brasil – e o Changemakers da Ashoka, essa categoria surgiu da busca por uma indústria têxtil mais justa e sustentável. Uma indústria que respeite mais as pessoas e o planeta em que vivemos, que abra espaço para um futuro onde a prosperidade esteja ao alcance de todos que participam de alguma forma da cadeia produtiva de moda.

É sabido que a indústria da moda, além de oportunizar emprego e renda para milhões de pessoas ao redor do mundo, e representar uma das mais importantes engrenagens do crescimento econômico mundial, gera violentos impactos sociais e ambientais. Isso gera não apenas grandes movimentos de discussão, como o Fashion Revolution (que, inclusive, a gente participou faz pouco tempo), mas desafios complexos que exigem soluções inovadoras e colaborativas que objetivem a transformação do setor. A gente sabe que essa mudança é possível. A gente sabe que essa transformação é imprescindível. O Banco de Tecido vive e trabalha, com a ajuda de cada um dos nossos correntistas e usuários, pra que isso aconteça! É por isso que estamos muito felizes em mostrar pra o mundo todo o que a gente faz! Apertem os cintos pessoal, nós vamos para a Dinamarca!

Por MAFI Comunicação | Banco de Tecido