De Onde Veio… o CARNAVAL?

por Isabella Barboza para o Banco de Tecido

 

Todos adoram uma folia cheia de confetes, muito glitter e marchinhas de carnaval. Aqui no Banco de Tecido não somos diferentes, esperamos o carnaval segurando o paetê em uma mão e o cetim na outra. Mas vocês sabem de onde veio essa história toda de carnaval? Sabiam que a Igreja Católica incorporou essa festança nada santa só lá pelo século VII?

O carnaval surgiu da mistura de diversas festas, de diversos povos, mas todos eles representando o culto à terra, ao plantio. Eram rituais ligadas à comemoração da fertilidade da natureza. Eram festejos em agradecimento às boas colheitas que iriam alimentar as pessoas durante o inverno. E olha que isso vem lá de antes da época de Roma e da Grécia Antiga. Ou seja: já faz um bom tempo que surgiu a folia! Por exemplo: essa mania de jovens homens se vestirem de mulher nasceu na Idade Média para comemorar o que…? Justamente o período fértil da agricultura.

 
 

Imagina que bacana seria se tivesse um Banco de Tecido naquela época para ajudar essas Drags a se montarem? Iam arrasar demais, não iam, meninas?!

Desde os tempos antigos um dos símbolos da fertilidade é o ventre feminino e as curvas de seu corpo. A conhecida estatueta da Vénus de Willendorf, com mais de 25.000, mostra que ligação do feminino com a natureza sempre foi muito forte. Outro exemplo é a deusa greco-romana Vênus ou Afrodite, que simboliza o fertilidade, o amor e o desejo. Ou seja, a mãe natureza não é chamada assim à toa, né meninas? O ser feminino é o ser flor e fruto, é a alegria dessa festança carnavalesca!

 
 

No Brasil, a folia carnavalesca começou no período colonial e juntou tradições portuguesas, como os vestidos rodados das Bahianas com as dos negros brasileiros, como a ginga do samba. Imagina aquelas roupas de novela de época da Globo no calor do Rio de Janeiro? Isso sempre me intrigou, o calor que elas deveriam passar por aqui nos séculos XV, XVI, XVIII … Mas sabe o que eu saquei…? É que os tecidos daqueles tempos eram todos naturais (claro!!!) como algodão e linho, e isso absorvia o suor e deixava o calor mais suportável.

Os grandes desfiles nos sambódromos, como conhecemos hoje, surgiram a partir de 1920, quando começaram as primeiras escolas de samba. De lá para cá, muito gingado no pé e alegria na avenida!

E vocês, já preparam a sua fantasia para sair pelas ruas festejando?

Corre pro Banco de Tecido que ainda dá tempo!

Referências Bibliográficas

·       Livro “Almanaque do carnaval: A história do carnaval, o que ouvir, o que ler, onde curtir” (2008) de  André Diniz;

·       Artigo “Carnaval do Recife (Brasil) e de Lisboa (Portugal): herança e tradição-festejo sociocultural” (2017) de Anelino Francisco Silva - Revista UFRR

·       “Pequena história do Carnaval no Brasil” de Nélio Arantes - Revista Portal

Todas as fotos desta matéria foram retiradas da internet e suas fontes estão conectadas a um link na própria imagem. Basta clicar e você será direcionado para o site de origem da imagem.

Banco de Tecido